Voltar
24 de Abril, 2018

Você sabe o que são os Progressive Web Apps?

É notável que, atualmente, qualquer site ou serviço que funcione bem tem a grande maioria dos seus acessos via dispositivos móveis. E uma saída que muitas empresas encontram é criar um aplicativo para tentar atingir mais clientes e aumentar suas vendas. Mas vale refletir que essa nem sempre é a opção mais viável ou com o melhor custo, pois aplicativos nativos precisam ser desenvolvidos especificamente para cada tipo de dispositivo, como por exemplo, dispositivos Android e iOS. Será que todos os clientes que acessam seu site também instalariam seu aplicativo? Afinal de contas, os aplicativos ocupam espaço, consomem memória, etc. Por isso, uma boa opção é utilizar um Progressive Web App.

Progressive Web App (PWA) é uma nova forma de desenvolver software que está sendo aplicada em vários apps que utilizamos no nosso dia a dia. Ao contrário do que estamos acostumados nos aplicativos tradicionais, um Progressive Web App pode ser entendido como uma evolução que combina recursos das páginas da web regulares (ou sites) e dos aplicativos nativos.

PWA sendo utilizado no Google Chrome. Imagem: Addy Osmani

Em resumo, PWA pode ser considerado uma aplicação web (seu site) que nos permite ter a experiência de um aplicativo móvel através de alguns recursos especiais. Alguns deles são:

  • Notificações (ou Push Notifications)
  • Ícone na página inicial do smartphone
  • Processos rodando em segundo plano
  • Acesso à câmera e microfone
  • Acesso à localização do dispositivo
  • Velocidade da internet
  • Funcionamento offline
  • Controle dos sensores de vibração

Dentre outras possibilidades que ainda estão surgindo a cada atualização dos navegadores.

Se você se interessou por essas perspectivas, o site What Web Can Do Today nos mostra diversos recursos que estão disponíveis no browser que você acessar. Para usuários mais técnicos, há a opção de ver a implementação de cada recurso em código.

Vantagens

  • Adaptar o aplicativo para cada situação:

Com todas as possibilidades (identificação da velocidade de internet, notificações, funcionamento offline, luminosidade da tela, etc) você pode adaptar as cores, recursos a serem carregados, quantidade de conteúdo ou cor da tela de acordo com a situação atual que o usuário se encontra – seja em uma internet lenta, seja em um ambiente muito escuro, por exemplo.

Exemplo de Push Notification. Imagem: Progressio

  • Não correr o risco de ser desinstalado:

Grande parte dos aplicativos que não são bem-pensados são instalados, utilizados apenas uma vez e em seguida, desinstalados. O usuário dificilmente deixará um aplicativo que utiliza poucas vezes consumindo recursos do seu smartphone.

  • Engajar o cliente progressivamente:

A cada novo acesso você vai resolvendo um novo problema e conseguindo mais permissões para melhorar a experiência do seu usuário. Primeiro, ajudamos a resolver o problema logo de cara, depois começamos a pedir informações mais avançadas para ter acesso à localização do dispositivo, depois para enviarmos uma notificação quando tivermos novidades, e assim por diante.

  • E a principal: resolver o problema do cliente

Quando o cliente procura o nosso serviço no Google, não precisamos oferecer a instalação de um novo aplicativo, para depois de instalar, o cliente realizar um cadastro, confirmar o e-mail, e finalizar todo o processo necessário para resolver – muitas vezes – um simples problema. O usuário pode se encontrar em situações adversas e não ter internet suficiente para baixar o seu aplicativo, por exemplo.

Desvantagens

  • Suporte iOS

Um problema que tínhamos até poucos dias atrás era o suporte a estes recursos nos dispositivos Apple. Dispositivos com iOS inferior ao 11.3 não terão acesso a vários dos recursos citados acima.

  • Interface

Outra coisa que podemos nos deparar em alguns momentos é que a interface pode não ficar tão fluida (em animações complexas) como um app nativo, pois se trata de um aplicativo web e uma animação neste tipo de aplicativo depende de vários fatores. Mas para aplicativos cujo foco principal não é a animação, isso acaba não sendo um grande problema.

PWAs que já estão sendo utilizados por empresas de grande porte

PWAs substituem o uso de aplicativos nativos?

A melhor resposta para esta pergunta é depende. O ideal é fazer uma análise para cada caso. Isso pode ser feito por profissionais especializados nesse tipo de aplicativo. Mas, basicamente, podemos ver pela quantidade de recursos e possibilidades que citamos aqui, há uma grande possibilidade de, pelo menos a curto prazo, que PWA seja uma boa solução para o seu problema.